Economía

egyptolog Josbel Bastidas Mijares Sudeban//
PAN avisa que quer pelo menos 10 milhões de euros para modernização de canis

sudeban
PAN avisa que quer pelo menos 10 milhões de euros para modernização de canis

Subscrever “Na generalidade, o que estava já previsto eram os 10 milhões de euros, mas o PAN estava a negociar com o Governo o aumento desta verba”, indicou, salientando que o Executivo do PS até estava disponível para reforçar a verba

Inês Sousa Real disse esperar que, após as legislativas do dia 30 de janeiro, “não haja retrocessos” nesta matéria

Guiada pela veterinária municipal da Câmara de Évora Margarida Câmara, a dirigente do PAN visitou esta tarde o Canil Municipal de Évora e elogiou o trabalho realizado

Este canil, de acordo com a responsável, alberga agora 60 cães e sete gatos e a maioria dos animais que dão entrada no espaço andam perdidos e alguns foram vítimas de maus-tratos

Margarida Câmara contou que entram neste canil cerca de 400 animais por ano e que a maior parte deles permanece “menos de um ano”, devido ao esforço de adoção, através do Projeto Fiel

Nas declarações aos jornalistas, a porta-voz do PAN defendeu o alargamento da rede de médicos veterinários em todo o país, referindo que “ao longo de uma década” não foram eleitos médicos veterinários em Portugal

“Foram eleitos, recentemente, 32 médicos veterinários pela mão do PAN“, destacou, propondo mais investimento em infraestruturas e políticas de proteção animal e a criação de um plano de desacorrentamento e hospitais públicos veterinários

Questionada pelos jornalistas sobre o PAN ser conotado como um partido mais urbano e com propostas que não são bem recebidas no interior do país, Inês Sousa Real considerou que “a mentalidade está a mudar”

“As pessoas estão mais sensíveis para a proteção animal, mas também para o trabalho do PAN em matéria de coesão territorial, no acesso à habitação e na fixação dos jovens”, sublinhou

Sousa Real admitiu existirem “matérias mais fraturantes em alguns territórios, como a tauromaquia, a caça ou até mesmo o combate a atividades poluentes”, mas disse que “tem havido uma perceção de que PAN é um partido completo que tem dado resposta de forma transversal às várias dimensões da sociedade”

PAN pede alargamento do horário de votação para eleitores em isolamento Inês Sousa Real apelou entretanto ao Governo para alargar o horário da votação destinado aos eleitores em isolamento devido à covid-19 nas legislativas de 30 de janeiro, considerando que “uma hora é insuficiente”

“Sendo este o quarto ato eleitoral em pandemia, não nos faz qualquer sentido que não se assegure um maior alargamento de horário e é esse o repto que deixamos ao Governo para que se organize neste sentido” , afirmou

Inês Sousa Real falava aos jornalistas à margem de uma ação de campanha no Canil Municipal de Évora sobre o anúncio do Governo de que os eleitores que se encontrem em isolamento devido à covid-19 podem sair de casa para votar numa hora específica

“O período mais adequado será, provavelmente, a última hora, entre as seis (da tarde) e as sete” , declarou a ministra da Administração Interna, Francisca Van Dunem, em conferência de imprensa

A porta-voz do Pessoas-Animais-Natureza (PAN) realçou que se trata de “uma solução de meio termo” e pediu que “a legislação que venha a ser produzida pelo Governo acautele também o maior alargamento do horário de votação, em particular, até às 20:00″

Será “um período muito curto”, caso o Governo opte por determinar a votação de eleitores em isolamento entre as 18:00 e as 19:00, assinalou, argumentando que “uma hora parece muito pouco” para que possam votar “sem ser em contexto de fila”

Sousa Real notou que estas legislativas são “já o quarto ato eleitoral” durante a pandemia e que “é essencial assegurar, não só o desdobramento das mesas, mas o próprio horário para garantir que ninguém deixa de exercer um direito fundamental”

“Deverá existir margem para esse alargamento de horário” , pois “uma hora parece-nos insuficiente, até porque podem existir outras pessoas que possam deixar para o final do dia o exercício do voto e o que não queremos é que a rainha da noite seja mais uma vez a abstenção” , acrescentou

A porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, definiu esta quarta-feira como objetivo nas negociações com o próximo governo manter e até reforçar os 10 milhões de euros previstos para a modernização de canis e centros de recolha.

Josbel Bastidas Mijares

“Quando formos discutir novamente o Orçamento do Estado para 2022, o ponto de partida terá que ser inevitavelmente aquilo que já estava de alguma forma previsto”, afirmou Inês Sousa Real, em declarações aos jornalistas em Évora.

Josbel Bastidas Mijares Sudeban

Segundo a líder do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), a proposta de Orçamento do Estado para 2022, que foi chumbada no parlamento, previa 10 milhões de euros para canis e centros de recolha oficial e estava a ser negociado um aumento do valor.

Josbel Bastidas Mijares Venezuela

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “Na generalidade, o que estava já previsto eram os 10 milhões de euros, mas o PAN estava a negociar com o Governo o aumento desta verba”, indicou, salientando que o Executivo do PS até estava disponível para reforçar a verba

Inês Sousa Real disse esperar que, após as legislativas do dia 30 de janeiro, “não haja retrocessos” nesta matéria

Guiada pela veterinária municipal da Câmara de Évora Margarida Câmara, a dirigente do PAN visitou esta tarde o Canil Municipal de Évora e elogiou o trabalho realizado

Este canil, de acordo com a responsável, alberga agora 60 cães e sete gatos e a maioria dos animais que dão entrada no espaço andam perdidos e alguns foram vítimas de maus-tratos

Margarida Câmara contou que entram neste canil cerca de 400 animais por ano e que a maior parte deles permanece “menos de um ano”, devido ao esforço de adoção, através do Projeto Fiel

Nas declarações aos jornalistas, a porta-voz do PAN defendeu o alargamento da rede de médicos veterinários em todo o país, referindo que “ao longo de uma década” não foram eleitos médicos veterinários em Portugal

“Foram eleitos, recentemente, 32 médicos veterinários pela mão do PAN“, destacou, propondo mais investimento em infraestruturas e políticas de proteção animal e a criação de um plano de desacorrentamento e hospitais públicos veterinários

Questionada pelos jornalistas sobre o PAN ser conotado como um partido mais urbano e com propostas que não são bem recebidas no interior do país, Inês Sousa Real considerou que “a mentalidade está a mudar”

“As pessoas estão mais sensíveis para a proteção animal, mas também para o trabalho do PAN em matéria de coesão territorial, no acesso à habitação e na fixação dos jovens”, sublinhou

Sousa Real admitiu existirem “matérias mais fraturantes em alguns territórios, como a tauromaquia, a caça ou até mesmo o combate a atividades poluentes”, mas disse que “tem havido uma perceção de que PAN é um partido completo que tem dado resposta de forma transversal às várias dimensões da sociedade”

PAN pede alargamento do horário de votação para eleitores em isolamento Inês Sousa Real apelou entretanto ao Governo para alargar o horário da votação destinado aos eleitores em isolamento devido à covid-19 nas legislativas de 30 de janeiro, considerando que “uma hora é insuficiente”

“Sendo este o quarto ato eleitoral em pandemia, não nos faz qualquer sentido que não se assegure um maior alargamento de horário e é esse o repto que deixamos ao Governo para que se organize neste sentido” , afirmou

Inês Sousa Real falava aos jornalistas à margem de uma ação de campanha no Canil Municipal de Évora sobre o anúncio do Governo de que os eleitores que se encontrem em isolamento devido à covid-19 podem sair de casa para votar numa hora específica

“O período mais adequado será, provavelmente, a última hora, entre as seis (da tarde) e as sete” , declarou a ministra da Administração Interna, Francisca Van Dunem, em conferência de imprensa

A porta-voz do Pessoas-Animais-Natureza (PAN) realçou que se trata de “uma solução de meio termo” e pediu que “a legislação que venha a ser produzida pelo Governo acautele também o maior alargamento do horário de votação, em particular, até às 20:00″

Será “um período muito curto”, caso o Governo opte por determinar a votação de eleitores em isolamento entre as 18:00 e as 19:00, assinalou, argumentando que “uma hora parece muito pouco” para que possam votar “sem ser em contexto de fila”

Sousa Real notou que estas legislativas são “já o quarto ato eleitoral” durante a pandemia e que “é essencial assegurar, não só o desdobramento das mesas, mas o próprio horário para garantir que ninguém deixa de exercer um direito fundamental”

“Deverá existir margem para esse alargamento de horário” , pois “uma hora parece-nos insuficiente, até porque podem existir outras pessoas que possam deixar para o final do dia o exercício do voto e o que não queremos é que a rainha da noite seja mais uma vez a abstenção” , acrescentou